Como pingar colírios de forma correta:

Publicado em: 21/12/2015
Autor: CEOP
Assunto: Dicas de Saúde
Tempo de leitura: 2 minutos

O uso correto dos colírios é fundamental para evitar desperdícios e obter o efeito desejado dos medicamentos. Pode parecer simples, mas na verdade, grande parte das pessoas não sabem pingar os colírios de forma correta.

Veja algumas dicas de como pingar os colírios:

– Em geral, só devemos pingar uma gota de cada vez (a não ser que seu médico tenha orientado o contrário). O nosso olho só tem capacidade para o volume de líquido correspondente a uma gota. Mais do que 1 gota, provavelmente vai escorrer e não será aproveitado, gerando desperdício de dinheiro.
– O colírio deve ser pingado no “fundo de saco inferior”, que é a “bolsinha” que se forma ao puxarmos a pálpebra inferior para baixo e para frente.
– Pingar os colírios deitado é mais fácil do que faze-lo sentado ou em pé. Se for pingar sentado, incline a cabeça para trás na hora de pingar o colírio.
– Depois de pingar o colírio, feche os olhos e aperte o canto do olho próximo ao nariz. Assim, você mantém o colírio por mais tempo em contato com o olho e diminui a quantidade de medicamento que passa para a corrente sanguínea, evitando assim os possivéis efeitos colaterais dos medicamentos.
– Se o seu médico prescreveu mais de um colírio, não pingue eles juntos. Se o horário de pingar os colírios coincidir, dê pelo menos 15 minutos de intervalo entre um colírio e outro
– Evite encostar o frasco do colírio no olho.
– Não compartilhe colírios com outras pessoas. Cada pessoa deve usar um frasco de colírio diferente, para evitar transmitir infecções
– Tampe os colírios e mantenha-os em local fresco e arejado. Somente alguns colírios devem ser guardados na geladeira. Se isso for necessário, estará escrito na bula. Se não estiver escrito na bula, é porque não precisa.
– Se o colírio caiu fora do olho, pingue outra gota. É melhor ter 2 gotas do que não ter nenhuma.
– Agite o colírio antes de pinga-lo no olho. O medicamente pode estar na forma de suspensão, e se não for agitado pode não fazer o efeito desejado.
– Siga corretamente a frequência de uso dos colírios prescritos pelo seu oftalmologista e evite a automedicação!

Outros conteúdos